domingo, 2 de maio de 2010

Hannibal Lecter, M.D.


Chega a ser complicado falar de Hannibal Lecter, meu vilão adorado. Ele já foi eleito pela BBC o maior vilão do cinema de todos os tempos e, na minha opinião, o que o faz tão famoso é que, apesar dele ser um monstro abominável, não conseguimos ter raiva dele (pelo menos eu não consigo).
O personagem é elegante, charmoso, culto e sabe usar as palavras como poucos. Apesar de nos ter sido apresentado em 1991 pelo filme “O silêncio dos inocentes”, ele nasceu pelas mãos do escritor americano Thomas Harris em 1981 com o livro “Red Dragon” (O Dragão Vermelho). O livro “The silence of the lambs” é de 1988. Em “O silêncio dos inocentes” conhecemos um Hannibal prisioneiro em um hospital psiquiátrico, condenado a prisão perpétua. Ele não é exatamente o vilão do filme, mas ajuda a encontrá-lo em suas conversas com a estudante da Academia do FBI Clarice Starling.
Sobre os filmes, o melhor na minha opinião é “O silêncio dos inocentes”. A atuação de Hopkins é primorosa. Seus olhares, seu jeito de falar... Gosto de todos os filmes (o mais fraco é, sem dúvida, o último “Hannibal, a origem do mal”. Não gosto muito do menino que faz Hannibal jovem... e aquele furo estranho que ele tem na bochecha me irrita! Hehehehehe!)
Eu que sou um tanto conservadora para cronologia dos fatos, teria gostado muito mais se conhecessemos mais aquele canibal no primeiro filme; o ideal teria sido que o conhecessemos com “O Dragão Vermelho”, que só foi lançado nos cinemas em 2002. Mesmo “Hannibal” que encerra a história foi lançado antes, em 2001. Ou seja, pra fazer uma análise do personagem é preciso ler os livros (é possível encontrá-los traduzidos pro português em algumas livrarias) ou então ver os quatro filmes (creio que essa sequência pode cooperar:

HANNIBAL, A ORIGEM DO MAL
titulo original: (Hannibal Rising)
lançamento: 2007 (França) (EUA) (Inglaterra)
direção: Peter Webber

DRAGÃO VERMELHO
titulo original: (Red Dragon)
lançamento: 2002 (EUA)
direção: Brett Ratner

O SILÊNCIO DOS INOCENTES
titulo original: (The Silence of the Lambs)
lançamento: 1991 (EUA)
direção: Jonathan Demme

HANNIBAL
titulo original: (Hannibal)
lançamento: 2001 (EUA)
direção: Ridley Scott

Hannibal Lecter nasceu na Lituânia e era filho de uma família rica (eles viviam em um castelo). A região que vivia foi devastada durante a segunda guerra mundial por causa dos ataques dos nazistas aos russos. Sua família resolve sair de casa e se refugiar em uma cabana, porém o local foi palco de uma briga entre nazistas e russos, e isso matou os pais do pequeno Hannibal, deixando somente ele e sua irmãzinha Mischa. Os dois estavam escondidos ali no meio da floresta, na cabana, em condições precárias e, se não bastasse tudo o que já tinham passado, alguns saqueadores que tinham trabalhado pros nazistas ocupam a cabana. Como não tinham o que comer, os homens matam Mischa e a comem (no sentido gustativo e mastigatório da palavra). Hannibal vê tudo aquilo e não consegui salvar a irmãzinha. A cabana é bombardeada e os homens fogem, deixando o menino pra trás. Ele consegue sair da casa e é encontrado por soldados russos. Hannibal passa a viver em um orfanato que, ironicamente, fica no castelo que, anos antes, era sua casa. O jovem Hannibal é atormentado pelas visões do que tinha acontecido na cabana e gritava, em seus pesadelos, o nome da irmã Mischa. Como já não suportava mais a situação no orfanato, resolve partir. Vai até a França em busca de um tio que ainda poderia estar vivo. Ao chegar na casa do tio descobre que ele também tinha morrido. Restava apenas sua tia e esta o acolhe. Vão morar em Paris onde Hannibal estuda medicina. Era um aluno aplicado que conseguiu trabalho na universidade cuidando dos corpos que seriam usados nas aulas de anatomia. Se transforma em um rapaz gentil, educado e culto.
Apesar de seguir sua vida, Hannibal não consegue esquecer o passado e resolve sair a procura dos homens que fizeram aquilo com Mischa. Para isso retorna até a Lituânia, à cabana onde tudo tinha acontecido. Lá encontra pistas que o levariam até os canibais. Sai à caça deles para ter sua vingança. Não se satisfaz apenas em matá-los, precisa sentir o gosto da carne, do sangue.
Aqueles homens atormentaram tanto a alma do pequeno garoto que o transformaram em um monstro. Eles o tinham feito comer uma sopa feita com a carne de Mischa... e isso o tinha traumatizado. Ver a irmã morrer para ser comida por um bando de bandidos e, pra não morrer, ter também comido parte dela, mudariam pra sempre a vida de Hannibal.
O último canibal estava no Canadá, o que o fez viajar para a América. Depois de tê-lo encontrado, Hannibal continua sua vida. Continua sendo um médico gentil, educado e culto. Torna-se doutor em psiquiatria. Um grande entendedor da mente humana que trabalha para analisar a mente de assassinos em Maryland e Virginia.
Provavelmente, sua primeira vítima depois de ter conseguido sua vingança foi Mason Verger, um de seus pacientes. Eles se aproximam e Lecter o sugere que se autoflagele – Mason tinha vários problemas por ser homossexual. Ele ouve os conselhos malucos do Dr Lecter e faz várias feridas em seu rosto (chegando a arrancar partes da carne). Hannibal o fere mortalmente, porém Mason Verger sobrevive ficando tetraplégico e com a face deformada.
Dr Hannibal Lecter continua sendo um médico respeitado e cheio de amigos influentes. Mas continua matando pessoas, agora, muito mais pelo simples prazer de degustá-las. O mais interessante é que, como é cheio de amigos importante, frequentemente serve seus convidados com iguarias extraordinárias (carne humana) e todos se deleitam sem saber o que realmente estão comendo.
Como continua colaborando com o FBI na elaboração de perfis psicológicos criminais, Dr Lecter conhece o agente especial William Graham. Graham está investigando um assassino serial que, tudo indica, come a carne das vítimas. O jovem investigador descobre que o assassino em questão é o seu “amigo” Hannibal Lecter. Dr Lecter também descobre que Graham sabe de tudo e decide matá-lo, porém, o investigador sobrevive. Dr Hannibal Lecter finalmente vai para a prisão. Por todos os crimes que cometeu, foi julgado a nove prisões perpétuas. (Bastava uma! Hehehehehe!)
Porém um novo serial killer aparece no pedaço: o “Fada dos dentes”. Como a polícia não consegue encontrar o bandido, pedem ajuda para o agente Willian Graham que estava aposentado desde o ocorrido com Dr Lecter. Ele procura o antigo “amigo” Hannibal e este, mais uma vez o ajuda a encontrar o caminho para o assassino.
Este acontecimento faz com que mais um agente procure o “doutor canibal”, na verdade uma jovem agente, ainda estudante da academia de polícia do FBI: Clarice Starling. A jovem tenta fazer o perfil psicológico de um assassino de mulheres, o Buffalo Bill. Mais uma vez, com seus jogos psicológicos, Dr Lecter consegue fazer com que cheguem ao criminoso. Mas dessa vez, Hannibal tem um plano para conseguir escapar da cadeia. A última vítima (ainda viva) de Buffalo Bill é a filha de uma importante senadora americana: pronto, decide fazer um acordo: informações por uma transferência. Aproveita de todo o circo que montam para sua transferência para conseguir escapar, não sem antes matar algumas pessoas (incluindo ai uma obra de arte, homenagem a Francis Bacon – que ele faz com o corpo de um dos guardas!).
Ele consegue escapar e vai atrás do diretor do hospital-presídio, que está de férias.
O tempo passa, Hannibal Lecter entra para a lista dos dez mais procurados do FBI, porém, ninguém o encontra.
Ele passa a viver na Itália, em Florença. Cria uma identidade falsa e consegue se infiltrar na sociedade florentina. Passa, inclusive a ser respeitado por ser um homem incrivelmente culto. Porém não permanece tanto tempo no anonimato. Uma antiga vítima sua, Mason Verger, não agüenta mais esperar sua vingança e resolve comprar policiais do FBI para ajudá-lo na captura de Hannibal. Através de uma carta que Dr Lecter mandou para Clarice Starling, conseguem localizá-lo.
Dr Lecter então sai do anonimato e, de maneira “sublime”, retoma seus assassinatos, até, por fim, conseguir se livrar definitivamente de Mason (indiretamente, mais uma vez) e fugir.


O que nos faz temer Hannibal Lecter? Será que é seu instinto canibal ou o fato dele ser um psicopata? Ele não reage emocionalmente. No filme “A origem do mal” ele consegue passar por um detector de mentiras na boa, sem nenhum esforço. O modo como mata suas vítimas, sempre tão tranqüilo... como se aquilo fosse normal e belo. Pode existir beleza na morte e no sangue (acabei de me lembrar do filme “Beleza americana” e daquele rapaz que filmava tudo o que via... sua reação quando vê o protagonista morto... o sangue escorrendo). O que acontece de fato é a atração que temos por Hannibal Lecter – claro que isso é “culpa” do excelente trabalho do ator Anthony Hopkins (que lhe rendeu, inclusive, um Oscar pelo papel em “O silêncio dos inocentes”).
Que vilão adorável!
Penso que admiramos os bons vilões. Conseguimos enxergar suas qualidades (mesmo que elas sejam moralmente erradas). Por exemplo, mesmo considerando Hitler um monstro, não deixamos de admirar o seu poder de persuasão. Pra mim, os dois “melhores” crimes de Hannibal são os que ele não faz com as próprias mãos, mas com suas palavras: o do idiota que estava preso no mesmo corredor que ele (o que fala para a agente Starling que consegue sentir o cheiro de sua “boceta”) – que, por sugestão de Hannibal engole a própria língua e, o do homossexual Mason Verger, que se auto-flagela (em uma cena linda – ok, gore... mas linda!).
Hannibal Lecter é um misto de canibal, vampiro e “Dom Juan” (apesar de ser um psicopata, e não “comer” ninguém – no sentido sexual da coisa – não podemos negar seu charme! Ele é muito sedutor).
Esse é o pior vilão... não conseguimos perceber que somos vítimas – até que a lâmina esteja cortando nossa carne. É diferente de um monstro feioso que usa máscara ou que tem o rosto deformado... Assim que o olhamos sabemos que são “do mal”... Mas, se encontrássemos Hannibal em uma sala de concerto, em uma galeria de arte ou em uma bela praça da Europa, não saberíamos. E existem Hannibals por aí. Aos montes. A história desse vilão, conforme nos mostrou seu “pai”, o escritor Thomas Harris, começou com um trauma de infância, como a de muitos malucos por ai. É fato que a maioria das pessoas que se envolvem em crimes tiveram uma infância conturbada... Muitos pedófilos, foram abusados sexualmente quando crianças... Há exceções? Claro. Mas, pelo jeito, não é o caso de Hannibal. Ele é um coitado que morreu em 1944 junto com Mischa. O que restou foi só o monstro, só a casca, só o apaixonante vilão.
Nos quatro filmes temos cenas primorosas, que eu gosto muito. Pequenos detalhes... Por exemplo, a refeição que Lecter faz depois de matar os dois policiais em “O silêncio dos inocentes”, come enquanto saboreia uma boa música... O jantar no começo de “Dragão Vermelho”, a cena da ópera em “Hannibal”... Também gosto muito de ouvir Hopkins dizer, pela boca de seu personagem: “Hello, Clarice!”...
Já está longo demais este post, portanto gostaria de terminar dizendo a quem não viu os filmes que os veja... todos os quatro. Se viu somente um deles, veja os outros. São esteticamente diferentes, cada um com uma pitada do diretor.
Não é uma série que provoca sustos nos espectadores. Aos muito fracos talvez provoque náuseas! Hehehehe!
É isso. Certamente não consegui dizer tudo o que queria. Tentei.

16 comentários:

Anônimo disse...

Este foi definitivamente o melhor texto que já li sobre Hannibal, especificou de forma clara o sentimento que temos por ele apesar de ser um serial killer. Parabéns, quero dizer que Lecter é meu personagem favorito e definitivamente o melhor assassino que existe em todo o cinema!

Anônimo disse...

adorei o post

cameralenta disse...

O Hannibal é o meu personagem preferido de todos os filmes, de longe!
Sou alucinada com ele, e te dou os parabéns pelo post :)

cameralenta disse...

O Hannibal é o meu personagem preferido de todos os filmes, de longe!
Sou alucinada com ele, e te dou os parabéns pelo post :)

Guilherme Messias disse...

Hannibal é um dos melhores personagens da literatura e do cinema! Vi todos os filmes e o que menos gostei foi o Rising, mas mesmo assim gostei. Li o livro de "O silêncio dos inocentes" e o filme é bem fiel, além de ter o Hopkins, óbvio. Quando vi o filme, por acaso, no Telecine Cult, falei "PQP, QUE FILME BOM DA PORRA" e fui logo comprando livro e dvd. Psicopatas são geniais, até pensei em ser psiquiatra, mas é muito difícil lol. Seus posts são muito bons, além do tema ser muito bom. Gosto mais desse blog do que do outro "pros alunos". Parabéns.

Taciana disse...

Oi Guilherme, obrigada pela visita e pelo comentário! Esse blog é muito especial pra mim... Acho o maior barato tentar escrever sobre algo diferente do que faço no dia a dia. Abraço!!!

Taciana disse...

Eu falei lá em cima que o vilão nos foi apresentado em 1991. Mas na verdade, em 1986 lançaram o filme "Manhunter", baseado em "Dragão Vermelho". Os atores não são os mesmos, claro. E Hannibal quase nem aparece. (O que me faz pensar ainda mais no mérito de Hopkins!).

Taciana disse...

Eu falei lá em cima que o vilão nos foi apresentado em 1991. Mas na verdade, em 1986 lançaram o filme "Manhunter", baseado em "Dragão Vermelho". Os atores não são os mesmos, claro. E Hannibal quase nem aparece. (O que me faz pensar ainda mais no mérito de Hopkins!).

Maiara disse...

Eu adoro o Hannibal Lecter... Meu vilão preferido... minha inspiração. Adoro o jeito dele falar de persoadir as pessoas emfim de envolve-las com aquele olhar estilo Hopkins. Adorei o post muito bem resumido e elaborado. Ele não é mal (só um pouquinho rsrs ) mas não consigo enxergar as suas maldades ... enxergo apenas suas habilidades e inteligencia persuação e sedução.. AMOO HANNIBAL LECTER

Taciana disse...

Olá Maiara! Obrigada pela visita!
Eu também AMO esse vilão!

Bruno Feitosa disse...

Taciana.. Eu só tenho uma palavra pra resumir tudo isso e essa palavra e "SENSACIONAL".. Você descreve muito bem o Lecter e o filme em si .. Foi um dos melhores documentários sobre esse assunto que eu já vi.. Parabéns ^^

Taciana disse...

Olá Bruno. Obrigada por sua visita e por seu comentário!
Eu sou louca por esse persobagem!!!

Rayanne Kardec disse...

Sou fã de hannibal por vários motivos,gosto de tds...adorei o post...parabéns!

fernanda mayumi disse...

Oi Taci!
Puts, realmente, o Lecter é apaixonante! Também não consigo sentir raiva dele, apesar de achar cruel certas atitudes (como quando ele corta o cérebro do policial aida vivo e o faz comer...), mas ainda sim torcia para que ele não morresse, que ficasse livre. Suas atitudes, seus gestos e até suas vitimas, é assustadoramente fascinante.
Mas diferente do que voce comentou, eu gostei bastante de terem lançado "Hannibal rising" apenas no fim, porque depois de 3 filmes de "Lecter", voce já tem uma certa intimidade com o personagem, já conhece um pouco de sua forma de pensar, de agir e de viver. Agora resta apenas saber o que o levou aquele ponto, o que o tornou tão intrigante, tão fascinante e ao mesmo tempo frio e genial, de onde começou tudo isso? Curiosidades sanadas com um último filme, voltando a infâcia do personagem.
Acho que me delonguei um pouco, sorry :P
E eu curti bastante seu post :)

Anônimo disse...

Oi sou novato aqui,minha primeira vez,estava procurando mais informações sobre o Hannibal,e sinceramente esse é o melhor texto que ja li entre todos sobre o Hannibal,vi apenas 2 filmes dele Hannibal-RISING e Silence of the lambs,contrariando a maioria aqui,eu simplesmente amei o RISING,achei que o Gaspard Ulliel foi um otimo Hannibal durante sua juventude,achei que ele deu muito charme e requinte ao personagem,a cada cena do filme eu pensava a mesma coisa:COMO ISSO È POSSIVEL?sou simplesmente fascinado por Lecter,me inspiro nele ele me da certas visões diferentes sobre cada aspecto da vida,olho os filmes de Lecter e não consigo deixar de ama-lo,em Silence of the lambs,Hopkins fez uma atuação digna de um anjo,seus sorrisos enigmaticos,suas charadas,seus jogos psicologicos simplesmente me fascinam,sou viciado em Hannibal Lecter,tenho 15 anos,e de tanto estudar sobre Lecter,comecei a ver as coisas do ponto de vista do personagem admito que não tenho todo seu requinte e opulencia,mas simplesmente amo Hannibal Lecter,e esse arquivo foi o UNICO entre dezenas dos que eu li que realmente conseguiu me dar uma visão mais direta de como era Hannibal,usando de artificios IMPRESSIONANTES para realizar suas tarefas Hannibal é simplesmente o unico pesonagem pelo qual me inspiro,enquanto uns jovens são fãs do Batman ou do Superman,eu sinto um orgulho extremo em dizer que o unico personagem pelo qual eu sinto uma paixão extrema é Hannibal ele simplesmente é SURREAL,parabens pelo post é totalmente bem feito muito bem elaborado e maravilhosamente cuidadoso em mostrar com nitidez e objetividade o melhor pensonagem do cinema de todos os tempos Dr. Hannibal Lecter.
Assinado:Andrew Marcos

Anônimo disse...


Hannibal é, realmente, um personagem incrível.

Mas, demos o devido reconhecimento ao o esplêndido ator que o interpreta.
Sinceramente, não consigo nem sequer, imaginar outro no lugar. Aquele olhar, aquela postura...Só mesmo Hopkins.